terça-feira, 9 de junho de 2009

SUPRIANO

Leitor, eu peguei na pena
Com muita simplicidade
Pra lhe contar uma história
Só lhe falando a verdade
Acredite quem quiser
conforme a capacidade


A história é de um galo
Que eu criei no meu terreiro
A raça veio do Japão
Mas ele era brasileiro
cantava às vezes que eu mandava
e conhecia dinheiro


Seu nome era Supriano
Por esse nome atendia
Eu chamava, ele vinha
pois não era maluvido
Me conhecia de longe
E era um galo aprendido


Era um galo japonês
A raça veio do Japão
Mas criou-se no Brasil
E se tornou campeão
Topando galo de briga
Nunca encontrou valentão


Zé Cândido tinha três galos
Todo os três eram valentes
Zé Cândido pensou consigo
Por que ele tinha na mente
Que tinha um galo de briga
Que nunca correu na frente


Tirou dos três o melhor
Da raça pura indiana
E veio apostar comigo
Pra brigar com Supriano
De fato, o galo era bom
Mas, sempre entrou pelo cano


Supriano foi muito conhecido
Era forte e foi muito competente
Pra brigar nunca encontrou um valente
Que por ele não ficasse vencido
Matou dez, por serem atrevidos
Não correu e nem queria se entregar
Supriano, não dando seu lugar
De valente, pois era campeão
E na vida não encontrou valentão
Que em briga pudesse lhe açoitar


Sua vida foi longa e resistente
Igualmente a bola de Pelé
Que batendo com a força do seu pé
Não via um goleiro na sua frente
Que a força da bola era tão quente
Que o goleiro que via esmorecia
Uma força que ele não conhecia
Se arredava e ali perdia o nome
E esse galo que eu tinha ciúme
Já morreu e já está na terra fria


Estou muito saudoso em minha vida
Lamentando a morte de Supriano
No dia 11 de março deste ano
Com a morte foi sua despedida
Fiquei triste de ver sua saída
Para a terra o comer sem culpa
Mas, depois, fiquei, sempre, conformado
Que a vida, sempre, terá um fim
Cada um de nós pensando assim
Que a vida tem dia detyerminado

BENTO LUIZ DE BRITO
Pacoti-Ceará

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho é Historiador, Literato, Letrista, Professor, Blogueiro e Jornalista Independente.

1º Lugar em Auto de Natal no Estado do Ceará, atuando na ocasião como o Rei-Mago Baltasar em 2004.

Criador, Idealizador e Presidente do Jornal Delfos-CE (desde 2007).

Criador e Idealizador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). 

Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

Criador da exposição histórica: "PACOTI: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste (2010). 

Formou-se em Licenciatura Plena em História (2010).

Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e em Guaramiranga, no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra (entre 2008 a 2015).

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012).

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizados pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck.

Publica entrevistas, notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.

Recebeu a Comenda Domitila por Mérito Literário, da SECULDT-Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto de Pacoti (2016).

Passou na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 2.370 inscritos no país. (2016).

Concluiu Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016)

Passou novamente na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 3.207 inscritos no país. (2017).