terça-feira, 9 de junho de 2009

O JUDOCA

Antes de vir para nossa escola, ele era campeão mundial de judô. Aos 28 anos, no auge da fama, abandonou as competições e veio ensinar no curso secundário. Era tudo o que sabíamos dele. Um sujeito bem humorado, de aspecto saudábem. Nunca se via nele o menor grau de ira ou melancolia, lia quase complusivamente, amava esporte como ninguém. Por isso mesmo largar o judô era algo contraditório com o seu perfil, mesmo virando professor de educação física.

_O que o fizera largar o judô no auge da fama, professor?_Indaguei certa vez. Ele desconversou e disse que sua missão na vida agora era formar novos campeões como ele fora.

Não me convenceu aquele arremedo de resposta, fiquei refletindo sobre o caso sem encontrar lógica alguma. Resolvi, então, investigar por conta própria. o segui até em casa para saber onde morava, anotei o nome da rua e o número.

No dia seguinte, a notícia no jornal: "ex-campeão mundial de judô é preso por furto de mercadorias". O jornal era do ano passado, quando ele realmente estava no topo da carreira. Eu, que até então era um de seus melhores educandos, resolvi não assistir aula naquele dia.

Mostrei o recorte ao delegado, que averigou e encontrou outros furtos em sua ficha corrida. Pouco depois, o professor surgiu. O delegado o recebeu. O professor pôs fim ao mistério, como prevendo que já confiavam dele.

_Seu delegado, hoje cumpri, nesta cidade, meu último dia de serviços prestados por haver cometido alguns furtos no ano passado. Pesso que lique para a delegacia de minha cidade natal para que eu possa voltar.

_Como eu não fui avisado de sua estada aqui?_Indagou o servidor da lei, perplexo.

_Foi um acordo feito com o juiz a través de meu advogado.

_o que o levou a cometer tais atos contra a lei?

_Acontece que, me envolvi com drogas pesadas, me viciei e fiquei depressivo. Justamente um pouco depois de atingir o auge do sucesso. Estou em fase de tratamento. Ninguém está livre de se viciar, e quando nos achamos superomens é que isso ocorre com maior facilidade.

AROLDO FILHO

Pacoti-Ceará

2007


Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho 

Historiador /Criador e Presidente do Jornal Delfos-CE, (2007). /Criador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). /Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

 /2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

 /Criador da exposição histórica: "PACOTY: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste(2010). 

/Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

 /Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

/Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e Guaramiranga (de 2008 a 2015 no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra).

 /2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012). 

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizado pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck. 

/Publica notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.


Selecionado no concurso de poesias federal da Editora Vivara em 2016, passando entre os 250 poetas que irão para o livro dentre 2.370 concorrentes. .