terça-feira, 23 de junho de 2009

JOANA DÁRC

Universidade Estadual Vale do Acaraú- UVA
Curso de Licenciatura Específica em História
Discplina: História Medieval I
Universitário: José Aroldo Gonzaga Arruda Filho

Trabalho:

Relatório do filmes:

"Joana D'arc" e "O nome da Rosa"

JOANA D'ARC

O filme sobre Joana D'arc (1412-1431) se passa na Idade Média. Jovem de 19 anos, simples, pobre e analfabeta, que dirigiu vitoriosamente o exército da França, libertando-a da invasão inglesa, encerrando uma guerra de cem anos.

Destaca-se na vida desta missionária a sua mediunidade, obedecendo às orientações de seus santos: São Miguel e Santa Catarina, que se comunicavam através de vozes, e, às vezes acompanhadas de aparições, segundo a personagem. A própria Igreja que a mata a canoniza como santa.

Naquela época, as mulheres eram o bode-expiatório para todas as calamidades. Uma multidão de ditas "bruxos", principalmente as mulheres, foram queimados. A Inquisição torturava até que os "hereges" confessassem para poderem ser mortos.

O fato de ela ser loura dos olhos azuis e bela se dá por ser uma produção de padrões americanos. E na Históra, diferente do filme, ela luta nas duas batalhas, mas no filme ela só luta na segunda e não passa de uma "virgem" ao qual o povo segue por devoção.

Na História não consta que o rei francês a tenha apoiado desde o primeiro instante, muito pelo contrário, ele só se alia ao povo para ela não levar toda a glória sozinha.

Na época, a religião cristã é muito forte e a rivalidade entre Ingleterra e França é muito acirrada, e mesmo assim o rei entrega Joana ao inimigo por medo de que ela o tirasse do trono, mas no filme ela é que dá força a seu poder.

Mais a pior cena de todas, é ela agradecer a alguém "espiritual" por estar morrendo queimada, chega a ser ridículo. Fica claro que a História não apenas muda os fatos de acordo com quem conta como também esconde mais personagens do que mostra.

O NOME DA ROSA

Uma história passa em 1837, Idade Média, num mosteiro com enormes torres, muitas gárgulas no porão, catacumbas que ainda existem hoje na Itália e vitrais com desenhos arredondados e torres com um labirinto de salas e escadas. Há imagens grandes de santos e de Maria.

O sorriso é visto como coisa de tolo, existe um livro de Aristóteles sobre a procura da verdade por meio da comédia que é envenenado com arsênico, o segundo livro de sua Poética que teria desaparecido e um dos monges diz que ele não existe. Lê-lo como se fazia, lambendo os dedos, é uma missão suicida a que os tradutores do grewgo se prestavam.

A auto-flagelação é praticada, a Igreja vende indulgências. Tem um livro no mosteiro em que h´q desenhos de um burro ensinando as escrituras aos bispos, o papa como uma raposa e um macaco sendo o abade. Esses desenhos eram folheados com pó de ouro.

na época, existia a "Santa" Inquisição, que matava os hereges. O filme faz referência aos dolcinianos, hereges que massa cravam os ricos (dentre eles, padres e bispos) e pregavam que todos deveriam ser pobres.

Pacoti-Ceará
2009

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho é Historiador, Literato, Letrista, Professor, Blogueiro e Jornalista Independente.

1º Lugar em Auto de Natal no Estado do Ceará, atuando na ocasião como o Rei-Mago Baltasar em 2004.

Criador, Idealizador e Presidente do Jornal Delfos-CE (desde 2007).

Criador e Idealizador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). 

Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

Criador da exposição histórica: "PACOTI: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste (2010). 

Formou-se em Licenciatura Plena em História (2010).

Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e em Guaramiranga, no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra (entre 2008 a 2015).

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012).

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizados pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck.

Publica entrevistas, notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.

Recebeu a Comenda Domitila por Mérito Literário, da SECULDT-Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto de Pacoti (2016).

Passou na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 2.370 inscritos no país. (2016).

Concluiu Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016)

Passou novamente na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 3.207 inscritos no país. (2017).