sexta-feira, 10 de abril de 2009

Poesias de Fagner Barros

ONTEM E HOJE


Sem você vivia bem, mas incompleto.
Te vi do nada e logo senti um pouquinho do vazio
que eu era ser preenchido por algo até então desconhecido.
Com minhas tentativas aprendi a não desistir.
Com a distância aprendi a me acostumar.
Com teu silêncio aprendi a ter esperança
e com o teu amor não aprendi o real sentido do que é solidão.

Fagner

PESADELOS DE UM SONHO

A sombra de um pesadelo maluco
De um sono conturbado
De um ser alucinado.
O sonho com uma flor deslumbrante
Mas com um espinho cortante
Num mesmo instante
Amor e dor .
Uma visão de belos campos
Que andando se percebe
Um deserto de terror.
Olhando o espelho
Do qual a Terra se reflete
Vê-se a escuridão
Que a mente obscura do homem a transformou;
Dos lagos flutuantes
Das martas verdejantes
Vê-se o torrão ressequido
Das garras do desamor.
Os sonhos alucinantes
Da vida de um sonhador
São traços verdadeiros
Da vida que ele criou.
Olha-se para frente com um
Certo ar de furor
Os pesadelos desse sonho
Que pena,
Não acabou.

Fagner
29/11/2005


MEU CONTRASTE

Entre você e eu, seu orgulho. Entre o que eu e você pensamos, sua dúvida.
Em mim a certeza de que quero, em você só incerteza e mistério.

Diante dos meus olhos o tempo vai passando e dentro de mim a saudade apertando. Não agüento mais esperar, minha vida é lamentar os meus desenganos.

De um lado estou eu, do outro você está, a distância que nos separa também pode nos juntar. Um olhar seu é bastante, uma ação sua é suficiente pra tudo se transformar.

Amor, ódio, esperança, desilusão e mais que tudo,paixão.
Aqui eu digo:_ Existo!!!
Ali eu grito:_Desisto...
E nas nossas vidas o destino conta suas histórias: Lágrimas... Sorrisos.
Encontros... Adeuses e
sonhos realimentados.
Entre você e eu, entre o sonho e a realidade,entre o tudo e o nada.

Fagner


MEU HOJE

O improvável sempre acontece e se pensamos que podemos fugir nos enganamos mais ainda. É bem possível que eu esteja me enganando agora mesmo, ou é bem provável que o improvável possa denovo acontecer e mudar novamente o rumo das coisas.

O que posso pensar que me pertence pode ser mera ilusão mas, por outro lado, algo pode ser meu e nem é do meu conhecimento.

O tempo dirá o que me convém ou não. Enquanto isso vivo provavelmente o improvável.

Fagner

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho 

Historiador /Criador e Presidente do Jornal Delfos-CE, (2007). /Criador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). /Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

 /2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

 /Criador da exposição histórica: "PACOTY: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste(2010). 

/Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

 /Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

/Ministrou aulas de História, Geografia, Arte e Religião em Pacoti e Guaramiranga (de 2008 a 2015 no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel e na Escola Linha da Serra).

 /2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012). 

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizado pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck. 

/Publica notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.


Selecionado no concurso de poesias federal da Editora Vivara em 2016, passando entre os 250 poetas que irão para o livro dentre 2.370 concorrentes. .