quinta-feira, 3 de julho de 2014

sábado, 21 de setembro de 2013

ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

 




ATAQUE TERRORISTA NO QUÊNIA DEIXA 20 MORTOS

Um ataque terrorista está acontecendo no Quênia e já deixou pelo menos 20 mortos até agora.

Ateu Poeta
O QUESTIONADOR
21/09/2013

VÍDEO DO ATENTADO NO JORNAL COLUNA DIAMANTE:


sábado, 14 de julho de 2012

O GOLPE DA ANTOLOGIA



Em 2011 esse sujeito conhecido como PAULINHO DHI ANDRADE, que deve se chamar na verdade PAULO CÉSAR BOMFIM até onde sei fez uma proposta na comunidade NOVA ORDEM DA POESIA, no Orkut, tinha inclusive um site de uma tal "EDITORA MADRE", que não se encontra mais no ar através do qual ainda fez um concurso entre nós, a época 37 poetas, de vários Estados do Brasil. 

De lá pra cá deu números de conta, uma dele e outra de uma suposta GRAFISSET, que, segundo ele, se recusa a devolver o dinheiro depois que o Paul Bomfim dexistiu de fazer a tal Antologia Poética, a qual fui convidado a participar por depoimento e trocamos e-mails, onde enviei poemas e fiz o depósito de 70 reais na conta da Grafisset. Muitos poetas pagaram mais de 70, deram 100, 200 reais, ou até mais para que o número de livros fosse aumentado.

O acordo inicial seria o Paulo Bomfim dar metade do dinheiro à Editora e a gente a outra metade, e cada um receberia de 3 a 10 livros, no meu caso particular seria 10, e o número de poesias seria o mesmo número de livros que cada um receberia. A gente venderia os livros e a metade do lucro seria novamente depositado na conta do Paulo ou da Grafisset para pagar o que ele gastaria.

Um detalhe deve ser lembrado, ele pediu que adiantássemos mais dinheiro mesmo quando já não criamos mais no andamento da antologia. Ele começou a dar desculpas de até amigos seus que tinham morrido, pelo menos uns 3 e de que ficara desempregado e tantas outras coisas e começou a falar no meio de um outros projetos de chamados "MULHERES NUAS" e "HOMENS APAIXONADOS" e usou como desculpa que  lançamento do livro seria junto com o lançamento desses outros projetos em São Paulo e começou a convidar os 37 poetas para ir.

Acontece que até o local que ele tinha conseguido já não estaria mais disponível e ele teria que arranjar patrocínio agora. Mas, o pior é que tudo acontecia ao mesmo tempo, até um tal de ALESSANDRO em que ele vem falando muito teria ficado doente quando o Paulo supostamente iria falar com ele e depois era o Paulo que ficaria doente, ora gripado, ora deprimido pelas mortes desses amigos, ora o tal Alessandro nunca estava na tal gráfica, de modo que em um ano não conseguiam mais se encontrar.

Após um ano nessa enrolação fica mais do que claro que isso foi um golpe, O GOLPE DA ANTOLOGIA, em que o sujeito brincou com o sonho de vários poetas amadores de publicar um livro e ainda se faz de vítima quando todos nós cobramos, chegando a dizer que isso até ASSÉDIO MORAL era quando dei o ultimato de processá-lo por estelionato, danos morais, danos pessoais, 171 e uso de má fé. 

Não é justo que esse sujeito de má-fé saia impune. Este historiador que voz escreve o faz para que esse caso não se repita mais com ninguém. E que a notícia se espalhe pelo mundo para que esse tal PAULINHO DHI ANDRADE OU PAULO BOMFIM nunca mais repita a dose de ficar com dinheiro de ninguém.

AROLDO FILHO
Historiador cearense criador do 1° Aquivo Público do interior do Nordeste, Arquivo Municipal José Audízio de Sousa. Criador do Jornal Delfos-CE. Sócio do Instituto Desenvolver. Criador da Associação Cultural SEMPRE. Criador da exposição histórica Pacoy: uma HISTÓRIA em documentos.
15/07/2012

terça-feira, 23 de junho de 2009

PROVA DE FILOSOFIA DA HISTÓRIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ-UVA
CURSO DE LICENCIATURA ESPECÍFICA EM HISTÓRIA
DATA: 01/03/2008
PROF.: DR. JORGE ALBERTO RODRIGUEZ
UNIVERSITÁRIO: JOSÉ AROLDO GONZAGA ARRUDA FILHO
PACOTI-CEARÁ

2-Quando Kant diz que a razão só se desenvolve de forma plena na espécie, mas não no indivíduo, qual é o entendimento que ele tem da razão?

R= Para Kant, afunção do filósofo seria descobrir qual o plano da natureza para a humanidade, então a História deveria ser escrita a partir do pretenso fio condutor que a natureza impunha à humanidade.

3-Qual seria a função das guerras para Kant?

R= As querras, para Kant, seriam mecanismos da natureza a fim de fazer os homens se unirem para criarem Estados fundamentados em leis, aprimorando as relações entre os Estados, gerando um estado-autônomo.

4-Para Lowy, o que pretende o pensamento Benjaminiano?

R=Benjamin visa uma nova compreensão da História. De caráter anti-progressista, Benjamin pretende alertar para que a História seja reescrita, desta vez que seja do ponto de vista dos oprimidos e não dos opressores, como de costume.

5-Quais são as fontes da filosofia da história de Walter Benjamin?

R= As fontes da filosofia histórica de Benjamin são o romantismo alemão, materialismo-histórico de Karl Marx e o o Messianismo judáico alemão.

6-Como Benjamin concebe a revolução?

R= As revoluções, para Benjamin, seriam interrupções de uma evolução histórica que conduz á catástrofe, pois o progresso capitaliosta faz pensar sobre a humanidade, sobretudo nas camadas mais baixas das classes-sociais.

JOANA DÁRC

Universidade Estadual Vale do Acaraú- UVA
Curso de Licenciatura Específica em História
Discplina: História Medieval I
Universitário: José Aroldo Gonzaga Arruda Filho

Trabalho:

Relatório do filmes:

"Joana D'arc" e "O nome da Rosa"

JOANA D'ARC

O filme sobre Joana D'arc (1412-1431) se passa na Idade Média. Jovem de 19 anos, simples, pobre e analfabeta, que dirigiu vitoriosamente o exército da França, libertando-a da invasão inglesa, encerrando uma guerra de cem anos.

Destaca-se na vida desta missionária a sua mediunidade, obedecendo às orientações de seus santos: São Miguel e Santa Catarina, que se comunicavam através de vozes, e, às vezes acompanhadas de aparições, segundo a personagem. A própria Igreja que a mata a canoniza como santa.

Naquela época, as mulheres eram o bode-expiatório para todas as calamidades. Uma multidão de ditas "bruxos", principalmente as mulheres, foram queimados. A Inquisição torturava até que os "hereges" confessassem para poderem ser mortos.

O fato de ela ser loura dos olhos azuis e bela se dá por ser uma produção de padrões americanos. E na Históra, diferente do filme, ela luta nas duas batalhas, mas no filme ela só luta na segunda e não passa de uma "virgem" ao qual o povo segue por devoção.

Na História não consta que o rei francês a tenha apoiado desde o primeiro instante, muito pelo contrário, ele só se alia ao povo para ela não levar toda a glória sozinha.

Na época, a religião cristã é muito forte e a rivalidade entre Ingleterra e França é muito acirrada, e mesmo assim o rei entrega Joana ao inimigo por medo de que ela o tirasse do trono, mas no filme ela é que dá força a seu poder.

Mais a pior cena de todas, é ela agradecer a alguém "espiritual" por estar morrendo queimada, chega a ser ridículo. Fica claro que a História não apenas muda os fatos de acordo com quem conta como também esconde mais personagens do que mostra.

O NOME DA ROSA

Uma história passa em 1837, Idade Média, num mosteiro com enormes torres, muitas gárgulas no porão, catacumbas que ainda existem hoje na Itália e vitrais com desenhos arredondados e torres com um labirinto de salas e escadas. Há imagens grandes de santos e de Maria.

O sorriso é visto como coisa de tolo, existe um livro de Aristóteles sobre a procura da verdade por meio da comédia que é envenenado com arsênico, o segundo livro de sua Poética que teria desaparecido e um dos monges diz que ele não existe. Lê-lo como se fazia, lambendo os dedos, é uma missão suicida a que os tradutores do grewgo se prestavam.

A auto-flagelação é praticada, a Igreja vende indulgências. Tem um livro no mosteiro em que h´q desenhos de um burro ensinando as escrituras aos bispos, o papa como uma raposa e um macaco sendo o abade. Esses desenhos eram folheados com pó de ouro.

na época, existia a "Santa" Inquisição, que matava os hereges. O filme faz referência aos dolcinianos, hereges que massa cravam os ricos (dentre eles, padres e bispos) e pregavam que todos deveriam ser pobres.

Pacoti-Ceará
2009

A "DESTRUIÇÃO CONSTRUTIVA" DA HISTÓRIA

Universidade Estadual Vale do Acaraú- UVA
Curso de Licenciatura Específica em História
Trabalho de Filosofia
prof.: Jorge Alberto Rodrigues
Universitário: José Aroldo Gonzaga Arruda Filho

Síntese do texto: A "destruição construtiva" da História
de: Caroline Mitrovitch

Benjamin adota o tema da História segundo os vencidos, pois ela é registrada para impor a cultura dominante e não como forma fazer justiça àqueles que foram massacrados. Walter Benjamin, judeu de esquerda, exilado na França em plena 2a. Guerra Mundial, país que é invadido menos de 1 mês depois da Polônia e da rendição da Holanda e da Bélgica.

Em crise existencial grave, o holocausto de seu povo sob o regime nazo-facista, ele propõe que o historiador deva tomar partido dos humilahdos sempre; alegoricamente sendo um anjo vingador. Criticar o Positivismo na busca de um resgate dos não-citados, quebrando os ícones dominantes seria uma homenagem póstuma a quem a memória esqueceu, mais que isso até: uma revolução.

O historiador deveria, então, ser um iconoclasta, entretanto, o texto sugere o mesianismo como base das revoluções. Não é verdade, nas grandes revoluções há sempre questões políticas encobertas pelos temas democráticos de "liberdade, igualdade e fraternidade". Os ideais de uma classe são usados por uma segunda para que esta, logo após, se alie a uma terceira, contra a qual lutara antes.

A História não é mal contada por acaso e quem desejar reescrevê-la deve estar alerta para o perigo de fazê-lo. Outro problema é que as fontes dessa nova maneira de contar são difíceis de encontrar, quando não destruídas, logo, o historiador comprometido com um novo olhar não só investiga em pesguisa intensa como analisa os registros oficiais, permanecendo inconformado frente ao Porquê.

Antes de anjo da morte, herói, iconoclasta, filósofo ou cientista, quem busca compreender a realidade é um analista racional a procurar provas materiais, calculando os acontecimentos em teses lógicas, e que estas sejam testadas antes e depois do reconhecimento de eficácia.

Pacoti-Ceará
08/03/2008

segunda-feira, 15 de junho de 2009

PRIMEIRAS GRANDE CIVILIZAÇÕES

TRABALHO DE HISTÓRIA MEDIEVAL I SOBRE

AS PRIMEIRAS GRANDES CIVILIZAÇÕES

1-Oque você entende por pré-história?

R= Pré-história corresponde ao período antes da escrita ou ágrafo, mas deveria ser considerado História desde o surgimeto do homem.

2-Quais as principais carasterísticas da cultura do paleolítico inferior e superior? e o que esses povos representam com essas características para o mundo?

R= No inferior, a caça passa a ser a principal atividade dos povos. Início de uma cultura não material. Morava-se ou refugiava-se em cavernas.

No superior, os instrumentos eram fabricados de outros materiais além da lasca de pedras, inventou-se a agulha de osso, produzindo-se roupas. Construção de choupanas, cultivo da terra, produção de excedente.

No período do paleolítico, as novas tecnologias garantiam maior adaptação, sobretudo no neolítico, ao espaços geográficos e climas, prolongando a sobrevivência da espécie.

Hoje, somos sedentários e desfrutamos de uma vida mais moderna graças às descobertas adquiridas ao longo do tempo e avanços, como a pecuária, que proporcionam o crescimento maciço dos povos, diminuindo a mortalidade humana.

3-Aponte os fatores responsáveis pela origem e desenvolvimento das civilizações. Comente-os.

R=
1°- O desenvolvimento de uma língua e escrita_ A comunicação se torna melhor.
2°-Ênfase na arte, belas-artes_ O controle da elite sobre o social torna-se mais forte.
3°-Avanços científicos_ A mortalidade cai.
4°-Criação de instituições políticas, sociais e econômicas_ Aumento da autoridade do imperador.
5°-Geográfico_ Clima propício à agricultura segura um povo num certo lugar, essa teoria é mais popular.
6°-Adversidades_ Segundo Arnold J. Tonybee, historiador norte-americano, condições adversas estimulam o homem a superar-se.

4-Quais os meios prováveis da chegada do homem à América?

R= Via Ásia, talvez houvesse uma passa gem entre os continentes asiático e americano, segundo à teoria de a Pangéia. (O que impediria de ser o oposto?)

5-Descreva a principal característica da civilização grega.

R= Sem dúvida, a arquitetura, com seus gigantescos monumentos. Além disso, os hieróglifos e o senso de estabilidade no Vale do Nilo.

6-Caracterize a históriapolítica do Egito ao tempo dos faraós.

R= Antigo Reino: (3100 a 220 a.C.)
Unidade governada por seis dinastias de paz
Médio reino: (1900-1786 a.C)
Governo forte, progresso na justiça social e muito desenvolvimento intelectual. Democratização da religião.
Império: (1575-1086 a.C)
Espírito agressivo, criando um dos maiores exércitos dos tempos antigos, e expansionista. Perdida a maior parte das provínciais. Assemelha-se ao Antigo Reino sendo mais absolutista. Depois de invadido a partir do século X a.C. pelos líbios, etíopes ou núbios e do colapso do domínio assírio em 662.
O Egito tem seu fim em 525 a.C. Conguistado pelos persas.

7-Fundamente a religião egípcia e sua importância.

R= A religião passou por várias etapas, divindade e locais se fundem com a consolidação do território. Culto a Rá (Hã), deus do Sol, todos os faraós seriam seus representantes. A religião solar era para a elite, só representava o povo quando os interesses coincidiam.

No Médio Reino, cresce o culto a Ossíris, que teria ensinado o povo egípcio a agricultura. Promessas de imortalidade para os bons. A justiça era um desejo popular, pois se tratava do agrado do deus dos mortos que julgaria quem iria para o Céu ou teria o mextermínio de sua alma.

No Império, Amonep IV expulsa os sacerdotes, suprime os monumentos públicos, cultivando Áton, um deus do qual o faraó seria herdeiro. Amonep muda seu nome para Iknaton e o de sua mulher, de Nefertiti para Nefer-Nefru-Áton. Iknaton e Áton seriam os únicos deuses existentes.

O sucessor de Tutankaton (ou Tutancamon) recupera antigos costumes e leva a religião egípcia à fé crescente no ritualismo, magia e vida extraterrena.

8-Comente as realizações intelectuais egípcias e sua importância.

R= Calendário anual, reconheceram a importância do coração, medicamentos criados, relógio de sol, papiro, vidro, hieróglifos, metalurgia. Todas essas realizações têm tremendo impacto no mundo contemporâneo; a exemplo, as fibras-sintéticas nylon, rayon, orlon,dracon, acrilon e inúmeras outras, dentre elas o acrílico, que é precursor da fibra-ótica.

Do papel então nem se fala, indispensável para nós comtemporâneos.

9-Demonstre o significado da arte egípcia e sua influência no mundo contemporâneo.

R= Tanto no Antigo como no Médio Reino quanto no Império foram as edificações que absorveram o talento dos artistas egípcios. As pirâmides representam poder, era maior de acordo com o poder do faraó, a quem se destinaria como túmulo.

A esfinge demonstra a força e a coragem leoninas do faraó. O monumento de Nefertiti ( ou deusa Nefertári) constitui a maior das influências difundidas, o culto excessivo à beleza, sobretudo à beleza feminina (estética).

Religiosamente falando, acruz do Cristianismo pode ter sido baseada no Ãntu, o símbolo da imortalidade que caracteriza a deusa Nefertári (a mais bela).

10-Como se desenvolvia a vida social e econômica dos egípcios?

R= Social, existiam 7 classes econômicas. A poligamia era permitida mas a família comum era monogâmica.

O sistema econômica se mantinha da agricultura e sempre fora coletivista. Contudo, a iniciativa privada era crescente.

No Império, com a ampliação militar e guerras frequentes, o governo estendeu controle sobre a vida econômica.

11-Comente a respeito das realizações egípcias.

R=Os egípcios eram bem avançados para a sua época; usavam a arte (belas-artes) como marketing, idéia precursora do logotipo que foi bastante usado por Daio, Alexandre e os césares romanos, como Otaviano Agusto César. Uma religião nacional e monoteísmo são criados, até mesmo uma mitologia. Isso eleva o poder do faraó e gera patriotismo. É notável também o desenvolvimento de sua escrita.

12-Faça uma síntese inbterpretativa do filme " A guerra do fogo" e do documentário "o homem pré-histórico_vivendo entre as feras".

R= Somos, hoje, segundo a teoria da Evolução, produto de adaptações no D.N.A. a fim de suprir as necessidades ocasionadas pelas mutações do próprio ambiente. Há a possibilidade de seres humanos de diversos estágios evolucionais terem convivido, porém, sobrevivendo apenas os mais adaptáveis, ao que tudo indica, logo; o homo-sapiens, nosso mais provével precursor, não é necessariamente o mais forte ou inteligente, e sim o que possuiu melhores condições ou teve acesso a mais eficazes apetrechos.

Além de seleção natural, temos a tecnologia para mudar nosso modo de vida, então; a humanidade gera em si mesma seleção artificial.

13-Caracterize a civilização mesopotâmica.

R= Cicilização formada por sumérios por volta de 3500 a.C. Em volta do vale do Tigre-Eufrates, depois pelo semitas noma região de muitos conflitos. Obtiveram progresso significativo nas ciências, principalmente Matemática, e desenvolveram um msistema de escrita cuneiforme.

14-Aponte as distinções entre as civilizações egípcia e mesopotâmica.

R= o Tigre e o Eufrates, ao contrário do Nilo, apresentam cheias irregulares. Não estavam protegido naturalmente de incursões por parte de estrangeiros, sendo muito mais combativos os que la moravam. A cultura mesopotâmica era muito mais malancólica e pessimists que a egípcia. A arte mais violenta e menos pessoal; não avañçaram no monoteísmo nem criam em vida eterna.

15-Comente as origens suméricas, da civilização ,mesopotâmica e e suas principais realizações.

R= A origem sumérica é provavelmente do planalto da Ásia central. Formaram cidades independentes com Ur e Lagash, sistema de escrita, religião, leis, práticas científicas e comerciais. Sistema jurídico que forma o Código de Hamurabi semita. Sobrepujaram os egípcios em todos os setores da matemática, exceto geometria. Inventaram o relógio d'água.

Os artistas salientavam-se na lapidação de pedras preciosas, na escultura e trabalho com metal. Criação na arquitetura de túmulos reais, da abóbada, cúpula, coluna e do arco.

16-Demonstre as contribuições dos antigos babilônios e seu legado deixado para o mundo contemporâneo.

R= Modificaram a cultura absorvida dos sumérios, tornaram as leis mais duras. Na literatura criam o épico de Gilgamesh, copiado pelos hebreus para formar a estória da arca de Noé, no Velho Testamento bíblico.

17-O que foi a metamorfose provocada pela Assíria?

R=Os comandantes do exército constituíam as classes mais elevadas. Lançavam mão do terror como forma de subjugar os inimigos. Eles foram escravizados ou extintos quando quando toda a região da Assíria foi saqueada. O comércio perdeu a força sem os assírios na Mesopotâmia.

18-Comente a renascença caldáica.

R= Os caldeus foram os mais capazes cientistas mesopotâmicos, inventaram a semana de 7 dias e a divisão em 12 horas duplas de 120 minutos cada uma.

AROLDO FILHO
Pacoti-Ceará
2008

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Aroldo Filho é Historiador, Literato, Letrista, Professor, Blogueiro, Jornalista Independente, Segurança, Vendedor, já foi Gerente de Vendas e às vezes é Humorista, também já foi Ator Amador  (Representando figuras do folclores católico, tais como Jesus Cristo, Rei-Mago Baltasar, Padre do livro "Os verdes abutres da colina" e São Vicente de Paula além de outros personagens em peças de escola).

1º Lugar em Auto de Natal no Estado do Ceará, atuando na ocasião como o Rei-Mago Baltasar em 2004.

Criador, Idealizador e Presidente do Jornal Delfos-CE (desde 2007).

Criador e Idealizador da Associação Cultural SEMPRE-Segmento dos Estudiosos da Memória e Patrimônio Regional da Serra de Baturité (2008). 

Criador e Idealizador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste (2009).

2° e 4° lugares,consecutivamente, no 1° e 2° concursos de poesia da comunidade do Orkut "Vamos Escrever um livro?"(2009 e 2010).

Criador da exposição histórica: "PACOTI: UMA HISTÓRIA EM DOCUMENTOS", aprovado pelo Banco do Nordeste (2010). 

Formou-se em Licenciatura Plena em História (2010).

Sócio do Instituto Desenvolver (2011).

Trabalhou para o Governo do Estado do Ceará como pesquisador no Porto do Pecém (2011). 

Ministrou aulas de História, Geografia, Arte, Religião e Ciências em Pacoti e em Guaramiranga, no Colégio São Luís, na Escola Menezes Pimentel, na Escola Linha da Serra e na Escola Monteiro Lobato (entre 2008 a 2017).

2° Lugar em concurso de pensamento na comunidade "Grupo de Poesia" no Facebook (2012).

Participa como um dos autores dos e-books "Por onde andei?" e "Quem sou?" realizados pelo Balcão de Poemas, edição de Wasil Sacharuck.

Publica entrevistas, notícias, contos, crônicas, poesias, fábulas, romances, artigos, peça teatral e letra de música em 32 blogs desde 2005.

Recebeu a Comenda Domitila por Mérito Literário, da SECULDT-Secretaria de Cultura, Turismo e Desporto de Pacoti (2016).

Passou na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 2.370 inscritos no país. (2016).

Concluiu Pós-Graduação em Gestão Escolar (2016)

Passou novamente na seleção para o livro "Prêmio Literário Nacional Concurso Novos Poetas", da Editora "Vivara", 250 poetas escolhidos dentre 3.207 inscritos no país. (2017).